quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Carnaval é a época mais chata do ano

O carnaval não é chato, deixam ele assim


   O carnaval é muito chato. Dizem que o Brasil é o país do carnaval mas todos os brasileiros que eu conheço concordam comigo: o carnaval é chato. O povo parece gostar muito de carnaval lá pelo Rio e pela Bahia. Mas esses não são os brasileiros, são alguns brasileiros. E acredito existirem também muitos por essas bandas que não ficam lá muito animados com as infindas batucadas. País do carnaval? De qual carnaval?

   Pois bem. Na verdade, analisando com calma, eu não acho o carnaval em si chato não. Eu até que gosto do carnaval, só que ele não existe aqui onde moro e num raio de muitos quilômetros ele não existe. Pelo menos não o de rua. Se não eu o "pularia". Feliz. E além disso, eu faço uma distinção. Pra mim existem carnavais, não o carnaval. E se digo que gosto, gosto do que considero o autêntico.
    O que é chato mesmo, e o que dá essa sensação de que essa é uma época do ano chata, são as Escolas de Samba, o carnaval da Bahia, e principalmente a grande cobertura que a mídia dá a essas manifestações culturais. Quem tá lá, tá usufruindo, pode até querer saber como que estão as coisas, a animação e etc. Mas quem não tá, meu amigo, "preferia ver o filme do Pelé".

  Outro ponto é o seguinte. O carnaval é brincar, sair na rua, pular e dançar encher a cara em plena luz do dia com todo mundo se divertindo, usar fantasias, rolar no chão com elas bêbado. Não pagar pra entrar. Fazer xixi no poste. Cantar ao som das marchinhas clássicas, eternas, ou ao som de qualquer som que estiver rolando. O carnaval é diversão com ausência de regras. Tudo aquilo que vc não faz o ano todo, vc faz no carnaval, é isso. Daí vem a ideia de homem vestido de mulher. Essencialmente/historicamente carnaval é (era) isso. Em alguns lugares do Brasil ele se mantem assim, felizmente, em Olinda/PE por exemplo, no Rio mesmo e em muitos outros municípios, no entanto, muito poucos se comparados com a vastidão do nosso território e para um país que se diz o país do carnaval.
  Porém, nossa mídia e nossos órgãos oficiais (farinhas do mesmo saco) querem que nós e o mundo acreditem que somos o país do carnaval por causa desses eventos, anti-carnavalescos na minha opinião, que acontecem na época do carnaval e só o ofuscaram. São talvez pseudo-carnavais, ou carnavais parasitas, são o câncer do carnaval. Mas não são o carnaval.

  Desfile de Escola de Samba tem regras rígidas, competição, campeão, disputa, brigas, estresse, rola uma grana monstro do governo e da iniciativa privada, não é para todos, existe segregação por classe social, só toca o mesmo tipo de música, não tem marchinhas, isso não é carnaval. Não sou contra que exista, mas bem podia acontecer em outra época do ano, não? Não agora. Eles estão acabando com o nosso carnaval, botando-o pra escanteio, e a maneira que a mídia cobre só o deixa mais chato. Eu não tenho Escola de Samba do coração, não sei quem ganhou o carnaval passado (ninguém deveria ganhar algo que é para todos) e não quero saber quem ganhará esse ano. Respeito, tem beleza, já assisti a vários desfiles, mas não tenho mais saco. Uma época eu acho até que via mesmo só pra ver mulher pelada, mas até isso, nas ultimas vezes que cheguei a dar uma olhada, tava difícil de ver nos sambódromos.


 Sobre o carnaval da Bahia não sei muito, mas ver as mesmas Ivetes, Claudias, Danielas, cantando sempre as mesmas chatices que elas cantam o ano todo, é chato. E aparece Preta Gil num trio elétrico. Cada vez mais chato. "Ah, mas tudo bem, o importante é o som, a diversão, é carnaval de rua, como aquele que vc elogiava acima". Antes fosse. Lá tem o tal do abadá, todo mundo vestindo a mesma roupa. E eles pagam caríssimo pra ter um. É elitismo, segregação, uniformização, não é carnaval. Podia fazer o evento numa outra época do ano também, agora desse jeito só tão acabando com o carnaval, aquele do povo, do coração. Feito pra se divertir não para aparecer. E nem quis pesquisar mais a respeito do carnaval baiano pra poder falar melhor aqui por que até pesquisar sobre é chato.
   Contudo, se só nos chega o carnaval espetáculo e enaltecedor e intensificador das chatices do ano todo em detrimento do carnaval true esse sim antidoto, pelo menos momentâneo, contra as chatices perenes, felizmente por aqui onde moro sempre temos carnavais alternativos, com bandas tocando, o que acaba fazendo dessa uma época legal, ainda com um feriadinho no meio. E é um carnaval bem brasileiro, eu conheço vários brasileiros que adoram. Esse, só é chato quando rola Smoke On The Water e Born To Be Wild e quando acaba.
   Conclusão: o carnaval é chato, mas também pode não ser.

Atualização: ignorem o penúltimo parágrafo, 3 anos depois, nem isso tem mais.

Os Americanos

Loading...