terça-feira, 15 de outubro de 2013

As bandas alemãs mais ouvidas no mundo

   Die größten Bands in Deutschland

   O assunto do momento aqui em SC é a Oktoberfest e as demais festas alemãs que acontecem no mês de Outubro no estado. Fato esse que serviu de inspiração para o Steve Jobs Zombie, que traz esse mês dois posts especiais. O primeiro foi O dia em que Adolf Hitler esteve na Oktoberfest, que vc pode conferir clicando aqui, e o segundo é este que vc está lendo e que foi inspirado também pela boa repercussão do post As maiores bandas da Suécia, que está disponível aqui neste link. 
   O norte do post foi o de focar principalmente nas bandas alemãs mais conhecidas no mundo, então, obviamente, se vc é fã de algum segmento musical germânico, alguma banda que vc adora poderá não aparecer aqui. E como são muitas as bandas de destaque no país do chucrute, ao invés de falar das principais bandas, falarei dos principais estilos musicais com força no país, botando as bandas que forem farinhas do mesmo saco, no seu devido saco, ou mais ou menos isso, se é que me fiz entender.

Krautrock

Termo que designa as estranhas bandas alemãs do final dos anos 60 e início dos 70 que buscavam uma sonoridade própria que se distanciasse da velocidade e da técnica do rock progressivo, "sinônimo de ruptura com o paradigma 'vejam o quão rápido podemos tocar', substituindo-o por 'vejam o quão longe podemos ir'" (Wikipédia). Som bem experimental mesmo e psicodélico. Que rendeu faixas enormes de vários minutos, as vezes bem chatas; rendeu bandas como Neu!, Amon Düül II, Can e principalmente rendeu a banda que em meio a toda experimentação acabou praticamente inventando a música eletrônica, o Kraftwerk (foto). Banda extremamente influente até hoje, bastante reconhecida, e que criou alguns clássicos, como Das Model, música que alguns arqueólogos musicais apontam como o primeiro exemplar do gênero synth-pop. 

Disco Music

Quem nunca botou pra rolar algum clássico da disco music alemã no volume máximo e ficou ensaiando uns passinhos se imaginando o Tony Manero dos Embalos de Sábado a Noite?? Hum? Quem nunca? Muita pouca gente, eu suponho. Mas confesso que já ouvi muito Boney M. Gosto muito do som e só descobri que era um grupo oriundo da Alemanha pesquisando para esse post. E outra que ouvi muito foi a espalhafatosa Dschinghis Khan (foto), cara que banda! Te juro que achava a música deles Moscow umas das maiores obras-primas da história da humanidade. Parei de achar isso depois que enjoei da música de tanto ouvir. Tô ouvindo ela agora, adoro quando cantam "Hei!"! Duas bandas criadas por gravadoras para vender discos, mas que nem por isso deixaram de legar algumas das canções dançantes mais interessantes da música pop dos anos 70 no mundo!

NDW


As vezes escolho uma playlist no youtube e fico horas ouvindo NDW, que nada mais é do que a New Wave Alemã, Neue Deutsche Welle. É aquele som bem anos 80, que na Alemanha encontrou um solo fértil rendendo muitos bons frutos. Caracterizados por apresentações ao vivo, quase sempre no playback, de uma exacerbada teatralidade robótica e com músicas bem simples e dançantes com melodias grudentas, bem do jeitinho que eu gosto.
Muitos artistas da NDW alcançaram sucesso mundial. Podemos destacar Falco, com a música Der Kommisar; Trio, com Da Da Da; e a sonzeira Major Tom de Peter Shcilling. E pode pesquisar NDW, tem muita coisa boa. O lado mais underground do estilo também é foda DAF, Grauzone... Pesquise, divirta-se.



Heavy Metal & Hard Rock

Sabe aquele lance do Krautrock de fazer um som distanciando-se da velocidade e da técnica? Pois é, teve toda uma geração de músicos nos anos 80 na Alemanha que justamente no virtuosismo foi buscar inspiração, o que veio a culminar em bandas como Halloween, Gamma Ray, Blind Guardian e Running Wild, que levaram seu power metal aos quatro cantos do mundo. Bandas que foram discípulas da Accept (foto), criadora de um dos grandes clássicos do Heavy Metal, Balls to The Walls, grande som!
Mas nenhuma dessas bandas chegou perto da fabrica de hits e banda mais popular da história da Alemanha, Scorpions. Banda que no seu som flerta com o Heavy Metal e o Hard Rock mas que se consagrou mesmo com suas baladas arrasa quarteirão. Quem nunca assobiou a introdução de Wind of Change ou dançou de rostinho colado com uma gata Still Love You?. Eu nunca. Nenhuma das duas opções. Nunca aprendi a assoviar.

Black/Death/Thrash/Doom Metal

E se os alemães, como vimos, sabem fazer um som alegre, dançante e divertido, eles também sabem fazer um som denso, obscuro, triste e destruidor. Bandas como Nargoroth, Morgoth, Sodom, Destruction e Grave Digger são encontradas facilmente na coleção de discos de qualquer metaleiro. Mas acredito que os maiores destaques do metal extremo na Alemanha são mesmo o Death/Thrash da clássica banda Kreator, trilha sonora perfeita para você deixar rolando no seu fone de ouvindo enquanto vc entra numa escola com a sua AK 47 atirando em todo mundo; E o Doom Metal da Lacrimosa, a trilha sonora perfeita para o seu suicídio. 



Synth-Pop

Quem nunca botou pra rolar algum clássico do synth-pop alemão no volume máximo e ficou ensaiando uns passinhos se imaginando... Pela sua cara, acho que vc também nunca fez isso, né? Cada vez eu me acho mais estranho. Mas, cara, Bad Boys Blue é brega pra caralho, mas te garanto que é um dos sons que eu mais escuto, e não sei porque gosto tanto, mas acho as músicas deles certinhas, redondinhas, inspiradas, adocicadas, não sei. Tem um vídeo deles no youtube com todos os clipes de sucesso do grupo, brega, mas eu curto aquilo. E não muito longe disso, tá o Modern Talking, que eu cresci ouvindo, não por opção, mas por sempre ter algum vizinho ou alguém em algum lugar do bairro ouvindo bem alto clássicos como Brother Louie, que acho foda. E um pouco menos brega, mas não menos foda tem o Alphaville, cara Sound Like a Melody e Dance With Me é muita sonzera meu irmão! Conclusão: o sinth-pop inglês é cool, o alemão é kitsch.

E ainda...

E ainda temos que sitar alguns nomes. Nina Hagen. Então, sabe a música Garota de Berlim da banda Tokio, que era a banda do Supla? Pois então, tem uma voz rouca estranha no refrão que é ela cantando. Ela veio do punk, cantava ópera, e nos anos 80 fez bastante sucesso com seu jeito extravagante de se vestir e cantar e um som mais pop. E por falar em Tokio, temos o Tokio Hotel, que não me interessa, teen e chata. Atari Teenage Riot banda surgida nos anos 90 que misturava guitarras distorcidas, música eletrônica e atitude punk. Música de protesto pra dançar, bastante cultuada no meio indie mas as vezes é muito barulhenta pra quem gosta de Bad Boys Blue. E numa mistura semelhante só que numa pegada mais pesada e mais metal temos a bastante popular Rammstein (foto), que alcançou reconhecimento mundial cantando em alemão e, arrisco dizer, trazendo na sua sonoridade influências de toda a música alemã sobre a qual vc leu aqui nesse post. E se por acaso vc não conhece, procure agora! E pra encerrar os falsários do Milli Vanilli. Dupla que ficou mega famosa no início dos anos 90 mas que deu um verdadeiro vexame quando foi descoberto que não eram suas vozes que apareciam nas gravações dos seus discos. Fake.
E por hoje deu. Com dizem os alemães Bis zum nächsten Mal! (Pelo menos foi assim que o Google tradudor traduziu: Até a Próxima!)


Curta a página do Steve Jobs Zombie. Compartilhe esse post. E se for copiar conteúdo do blog no mínimo tem que dar a fonte com o link pra original, né?

Outros posts que poderão lhe interessar:

Maior caso da ufologia mundial aconteceu no Brasil

Filmes eróticos que passavam na Sessão da Tarde

As VJs da MTV que eu faria amor

Celebridades que foram assassinadas

A teoria da Terra oca










Os Americanos

Loading...