quarta-feira, 6 de novembro de 2013

As polêmicas bandas da Noruega

A música no país do black metal

   Recentemente o Steve Jobs Zombie trouxe dois posts sobre música que foram divertidos de se fazer e que trouxeram uma boa repercussão para o blog, trata-se de As maiores bandas da Suécia que vc pode conferir clicando aqui e As bandas alemãs mais ouvidas do mundo que abrirá numa nova janela se vc clicar aqui. E, assim sendo, pensei: por que não fazer um ou mais posts sobre bandas de outros países? E sem encontrar nenhum motivo importante para não fazer o blog apresenta hoje um pouco do que é a música na Noruega e suas bandas mais conhecidas. Uma das cenas musicais mais controvertidas do mundo. 
  Como em qualquer país democrático a música no gelado país do extremo norte do mundo é bem diversificada, entretanto, curiosamente na Noruega destacam-se mais do que em qualquer lugar as bandas de black metal. Que não só existem em grande número por lá, mas também chamam a atenção por levar o estilo bastante a sério. Legando ao mundo não só um som extremo e furioso mas também histórias macabras que vão do incêndio de igrejas ao assassinato.

A-ha - Com certeza a banda norueguesa mais conhecida e menos polêmica do mundo, dispensa apresentações. Explodiu mundialmente com o clássico Take On Me em 1985, cujo vídeo clipe entra facilmente numa lista top 10 anos 80 de qualquer um. Continuou lançando sucessos até o início dos anos 90, quando sua popularidade começa a diminuir culminando com a separação do grupo em 1994. Em 1998 eles voltam a gravar e a fazer shows, mas nunca mais conseguiram atingir o prestígio que conquistaram na segunda metade da década de 80, vindo a se separar novamente em 2010. Entre seus muitos sucessos estão músicas como Touchy!You Are the One e Early Morning. O A-ha, formado por Morten Harket (vocal), Paul Waaktaar-Savoy (guitarra) e Magne Furuholmen (teclados), fez escola na Noruega, e muitas outras bandas fazendo bom synthpop/eletropop são encontradas no país, tais como Röyksopp, e mais recentemente o Casiokids.


O Black Metal - Os noruegueses praticamente inventaram o black metal. Pelo menos o black metal tal como conhecemos hoje, com seu visual, som e temática característicos, começou lá. Jovens desajustados inspirados por bandas como Venon, Bathory e Celtic Frost começam na segunda metade da década de 80 a se aglutinar com a ideia de fazer um metal pesado, pagão e anti-cristão.  Ideais que em nenhum outro lugar do mundo foram tão radicais e tiveram consequências tão graves.
  Inner Circle - Esses jovens não contentes em simplesmente apresentar suas filosofias nas letras de suas músicas, nas capas dos discos e em seus shows, criaram um movimento anti-cristão sem paralelo no século XX, o Inner Circle. Esse movimento, ao qual pertenciam vários membros de bandas que hoje são referência do black metal no mundo, tinha como princípios o satanistmo, nacionalismo, paganismo nórdico e supremacia racial. Seus métodos eram violentos. Até 1992 foram incendiadas por membros do movimento 52 igrejas, incêndios que continuaram até 1995, espalhando pelo mundo a fama de bandas como Mayhen, Burzum, Emperor, Darkthrone, Immortal (foto), Satyricon e etc...
  Dawn of the Black Hearts - Mas a violência do black metal norueguês não se limita à atos incendiários. Em 1991 o vocalista da banda Mayhem, conhecido como Dead, se suicida com um tiro na cabeça. Euronymous, guitarrista da banda, um dos líderes do Inner Circle, e dono da loja Helvete (inferno em português) - loja que vendia artigos para o público do black metal e era também ponto de encontro do movimento e gravadora - foi o primeiro a encontrar o corpo. Ao invés de chamar a polícia ele corre a uma loja, compra um máquina fotográfica e tira fotos do amigo morto com um buraco na cabeça. Uma das fotos torna-se a capa do disco Dawn of the Black Hearts do Mayhem. Um bilhete junto ao corpo do suicida dizia apenas "desculpem pelo sangue".
  Varg Vikernes - Euronymous é ainda personagem de outra incrível história. Varg Vikernes, o homem por trás do Burzum e também um dos líderes do Inner Circle, mata Euronymous com 23 facadas depois de uma discussão. Varg que na ocasião era também baixista do Mayhem foi preso e condenado a 21 anos de prisão, mas foi solto em 2009. Varg Vikernes pela sua história, postura, ideologia e musicalidade é considerado uma lenda viva do black metal. Sua história e tudo o mais que envolve a conturbada cena do black metal norueguês vc encontra em documentários pela web.

Um toque mais melódico - Existem outras bandas importantes e expressivas na Noruega, e claro, não dá pra citar todas. Contudo acredito que existem pelo menos mais três que não podem ficar de fora num artigo que pretende falar da música no país dos vikings. Bandas que misturaram a sonoridade do clássico black metal norueguês a outros elementos, mais líricos, mais melódicos, mais góticos e mais doom. São elas: Dimmu Borgir com seu symphonic black metal; Theatre of Tragedy, que entrou pra história do metal com seu gothic metal, estilo abandonado depois em prol do Industral; e a Tristania (foto), com influências do black metal, gothic, doom e symphonic metal. Bandas com músicas mais densas, sombrias, melancólicas e depressivas, menos agressivas em comparação à seus antecessores, a galerinha do Inner Circle.


E Confira também:

As maiores bandas da Suécia

As bandas alemãs mais ouvidas do mundo







Os Americanos

Loading...