sexta-feira, 9 de maio de 2014

O Aprendiz Celebridades é melhor do que Games Of Thrones

O melhor programa da TV brasileira hoje
 
   Eu troco todas as temporadas de Games Of Thrones ou de Breaking Bad, por essa temporada do Aprendiz, que é o melhor programa que está em exibição na teve brasileira hoje. Eu sou fã de televisão, mas não consigo gostar de novela, mesmo que ela seja uma superprodução da HBO. O que gosto em Games Of Thrones é o erotismo da série. Toda aquela sacanagem envolta naquela atmosfera mágica e medieval, é bem atraente aos meus olhos fascinados pelas artes áudio-visuais, entretanto, felizmente existem vídeos pela net com compilações de todas as cenas de sexo da série, qualquer hora talvez vá parar para ver, e pra mim já vai bastar.

   E apesar de que toda vez que a Mônica Carvalho aparece no programa eu lembro dela das páginas da Playboy, revista cuja a morena já foi capa três vezes, O Aprendiz, contrariando a lógica da maioria dos reality shows e muitos programas de sucesso, não precisa de bundas a mostra para ser interessante e atrair audiência. Ele é bom porque todos os episódios são uma aula, você aprende demais sobre o mundo dos negócios e sobre a sociologia, a antropologia e a psicologia das pessoas mais ricas da sociedade, das pessoas que decidem pra mim e pra você o que é certo e errado, o que é muito interessante. Somado a isso temos toda aquela tensão e eloquência nas salas de reunião, quando um dos participantes é demitido. Roberto Justus, concorde você ou não com as suas decisões, dá um show de inteligência, coisa que como todo mundo sabe é bem raro na TV aberta. Tô assistindo e tô me divertindo, tô aprendendo e tô me emocionando, tô compreendendo mais aspectos do nosso mundo e tenho sido inspirado pelo programa. E nada hoje na TV de entretenimento me proporciona tanto.
   Cresci vendo horas de televisão diárias e até hoje faço isso. E como fã de televisão acho que o programa contudo, poderia ser muito melhor. Nesta edição eles acrescentaram o chamado "desafio do líder", gastam um episódio inteiro com uma gincana, que acrescenta e diverte muito menos, ou quase nada, se comparado com os episódios em que temos as clássicas provas envolvendo o mundo dos negócios que fizeram o programa e que culminam com a sala de reunião e a demissão de um dos participantes, um dos quadros mais icônicos da TV brasileira dos últimos 10 anos.

   O fato de ser uma edição com "celebridades", palavra que me causa um certo asco, quase fez com que eu nem arriscasse assistir o primeiro episódio. Assistindo vi ali ex-celebridades e sub-celebridades, alguns ali talvez não cheguem nem a tanto, uns deles ricos outros muito ricos. Um cachê de 80.000 só pra participar do programa. Tudo só oportunismo nem vale a pena perder tempo, achei. Só que no fim das contas me diverti com as situações em que os participantes se envolviam, a queimação de filme, as tretas, pessoas queridas do público relevando um caráter a baixo da média, e especialmente agradou-me toda a parte "educativa" como já citei. O programa está mais para um aprendizes de celebridade, do que um Aprendiz Celebridades, como todo reality show é, alias. Mas nenhum reality ou programa de TV no Brasil hoje te dará tantas lições úteis e necessárias para sua vida.
   Bem, tinha planos de falar um pouco sobre alguns participantes, mas já me estendi demais. Deixo a prolixidade para o Cacá Rosset, um dos conselheiros do Justus no programa. Continuarei acompanhando a temporada do Aprendiz, pelo youtube, porém estou decidido a pular os episódios que forem meras gincanas. E tendo já assistido os 6 primeiros empatei com o número de episódios que consegui ver de Breaking Bad e supero os dois que suportei de Games of Thornes. Posso dizer portanto, que pelo menos pra mim, a série da Record é melhor do que as populares séries da TV fechada. E só queria dizer também que acho que o Roberto Justus a frente do Aprendiz é um espetáculo de televisão, mas como cantor ou em outros formatos de programas ele só merece ser: demitido. 
   






Os Americanos

Loading...